Bros Moto Clube - PE: Junho 2010

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Honda participa da Interseg, maior feira de segurança da América do Sul


Com o objetivo de reforçar sua atuação junto às autoridades governamentais do setor de segurança pública e divulgar a tecnologia incorporada em seus produtos voltados para o policiamento ostensivo, a Honda participa da Interseg (Feira Internacional de Tecnologia, Serviços e Produtos para Segurança Pública). O evento, que acontece entre os dias 13 e 15 de junho, no Centro de Convenções Centrosul de Florianópolis, reunirá empresas interessadas em equipamentos de segurança, além de representantes das polícias Militar e Civil de todo o País.

No estande da Honda, com área total de 150 m2, o público terá a oportunidade de conhecer as motocicletas CG 125 Cargo, NXR 150 Bros Mix, CB 300R, XRE 300, CB 600F Hornet e Shadow 750, todas personalizadas para o policiamento civil e militar, equipadas com itens como sirene, baú, sinalizadores (lanternas) e bagageiro, entre outros. Também estarão em exposição os modelos CG 150 Titan Mix e CBR 1000RR Fireblade.

Os visitantes terão acesso ao quadriciclo TRX 420 Fourtrax, que reúne agilidade e alta performance em terrenos de difícil acesso ou em condições adversas, sendo ideal para o uso da Polícia Florestal e de outros órgãos ligados à proteção ambiental.

Além disso, estarão expostos geradores, motores estacionários, motobombas e roçadeiras da linha de Produtos de Força Honda. Alta tecnologia, desempenho, economia e durabilidade são características de todos os equipamentos da linha, que os tornam ideais para uso profissional.

Haverá ainda um espaço destinado à difusão dos conceitos de pilotagem com segurança, onde o público conhecerá as atividades desenvolvidas nos Centros Educacionais de Trânsito Honda (CETH), localizados em Indaiatuba (SP) e Recife (PE). Os visitantes também receberão orientações dos instrutores da empresa e poderão aplicar os conhecimentos adquiridos em um simulador de pilotagem disponível no local.

Um plantão de vendas formado pelas concessionárias Honda da região estará à disposição dos visitantes para esclarecer dúvidas e fechar negócios durante a feira.

domingo, 13 de junho de 2010

NXR 150 BROS MIX - CONHEÇA O SISTEMA MIX PIONEIRO DA HONDA

Honda reforça seu pioneirismo ao colocar no mercado a primeira motocicleta de uso misto que roda com álcool, gasolina ou a mistura de ambos.


Versatilidade e economia são duas das principais características da NXR 150 Bros que a tornaram sucesso de vendas no Brasil. Agora estes dois atributos ganham ainda mais força com a apresentação de sua versão Mix. O modelo é o primeiro da categoria on-off road que funciona com álcool, gasolina ou com a mistura de ambos em qualquer proporção.
Além de atender às expectativas dos consumidores, proporcionando-lhes liberdade na escolha do combustível a ser utilizado e possibilidade de economia financeira, o modelo acompanha a estratégia mundial da Honda para a preservação do meio ambiente. Isto porque, quando comparado à gasolina, o álcool tem a vantagem de ser uma fonte de energia renovável e menos poluente.


Entendendo o sistema Mix
O sistema Mix é coordenado por um ECM (Electronic Control Module - Módulo de Controle Eletrônico) exclusivo, interligado a sensores que monitoram o desempenho do motor e transmitem informações sobre a mistura utilizada. De acordo com os dados fornecidos, o ECM ativa um dos quatro programas de funcionamento abaixo:
Programa 1: Tanque abastecido apenas com gasolina
Programa 2: Tanque contendo gasolina e álcool na mesma proporção
Programa 3: Tanque contendo maior quantidade de álcool
Programa 4: Tanque abastecido apenas com álcool
O sensor de oxigênio, localizado na saída do motor, faz a leitura dos gases queimados e passa a informação ao ECM. Com base no mapa de funcionamento escolhido, o ECM transmite as informações ao bico injetor, que fornecerá a quantidade adequada de combustível para a queima, levando-se em conta a mistura utilizada, e acertará o ponto de ignição – adiantando-o no caso do álcool e atrasando-o no caso da gasolina.
Perfeita para o motociclista brasileiro
A NXR 150 Bros conquistou os consumidores com características como facilidade de pilotagem, conforto acima da média, design aventureiro, diferenciação perante os modelos street utilitários, fácil manutenção, resistência, segurança, alto valor de revenda e versatilidade – esta última ampliada devido à liberdade de escolha do combustível proporcionada pelo sistema Mix.
A reunião destes atributos fez com que o modelo se firmasse na liderança de vendas do segmento on-off road no mercado nacional de duas rodas. Básico, atua como porta de entrada para a categoria, destacando-se perante seus concorrentes por possuir motor de 150cc, chassi de berço semiduplo, assento em dois níveis e, agora, tecnologia bicombustível.
A NXR 150 Bros Mix atende à demanda por motocicletas que encarem com desenvoltura asfalto, terra e pisos irregulares. Opção prática de locomoção para a cidade e para a área rural, oferece prazer na pilotagem em qualquer situação, com segurança e conforto.
Para encaixar-se adequadamente às necessidades dos mais diferentes usuários, o modelo Mix está disponível em três versões: KS, com partida a pedal; ES, com partida elétrica; e ESD, com partida elétrica e freio dianteiro a disco.




sábado, 12 de junho de 2010

Honda dá dicas de pilotagem com segurança para longos trajeto


Instrutores do Centro Educacional de Trânsito Honda relacionam alguns cuidados que devem ser tomados durante uma viagem de motocicleta

Instrutores do Centro Educacional de Trânsito Honda relacionam alguns cuidados que devem ser tomados durante uma viagem de motocicleta

Para aproveitar ao máximo a sensação de liberdade e prazer que a motocicleta proporciona, os instrutores do Centro Educacional de Trânsito Honda (CETH) dão algumas importantes dicas de pilotagem para quem pretende pegar a estrada nestas férias.

O primeiro passo antes de seguir viagem é colocar todos os equipamentos de segurança: capacete, roupas apropriadas, calçados que protejam os pés e luvas. Embora nem todos estes acessórios sejam exigidos por lei, é importante buscar a máxima proteção.

Na programação, a pressa não pode estar incluída. Uma viagem de motocicleta deve ter hora para começar, mas não para terminar. Compensar atrasos, jamais.

De modo geral, a maior probabilidade de ocorrer algum problema está concentrada nos primeiros minutos de condução. Isso porque o motociclista ainda está relaxado e com o raciocínio não tão focado. Além disso, a expectativa da viagem gera uma descarga de adrenalina e estresse. Para reduzir a tensão, são indicados alguns minutos de alongamento.

Durante a viagem, lembre-se: as motocicletas sofrem influência das correntes de ar, das instabilidades do piso e de manobras inesperadas de outros veículos.

Conduzir em grupo

Na estrada, a atenção deve ser redobrada. Mesmo que a motocicleta esteja em via preferencial, o condutor está sempre mais vulnerável diante de outros veículos. Para passeios em grupo, o roteiro do percurso, o itinerário a ser seguido e as paradas a serem feitas devem ser definidas antes da partida.

Durante o trajeto, os mais lentos devem seguir sempre à frente do grupo. É indicado não fazer ultrapassagens e utilizar a trilha deixada pelos pneus dos automóveis no asfalto. Em pista única, deve-se manter um espaço razoável entre as motocicletas, para permitir ultrapassagens de outros veículos. Outra importante dica é evitar a sensação de hipnose causada pelo acompanhamento contínuo.

Se sofrer algum ato de imprudência de outro condutor, o melhor a fazer é não tirar satisfações e manter-se distante. Pista não é lugar para conflitos ou brincadeiras.

Evite aproximações desnecessárias: na estrada, a comunicação deve ser por sinais. Com a motocicleta em movimento, jamais se deve tocar o outro condutor.

Parada necessária

Problemas mecânicos também são situações que eventualmente podem surgir. Nessas ocasiões, pare em um local seguro, de preferência em retas planas e sem obstáculos visuais. Sinalize aos demais veículos que está havendo um imprevisto, utilizando o pisca-alerta ou a seta para a direita. Evite atravessar ou caminhar pela estrada.

A parada deve ser feita no acostamento e a pista deve ser sinalizada nos dois sentidos, a pelo menos 50 metros da motocicleta. Enquanto as providências no local são tomadas, outros motociclistas devem buscar auxílio.

O espírito de alerta deve fazer parte de toda a viagem. Seguindo essas orientações e utilizando o bom-senso e o respeito ao próximo, é possível viver com liberdade uma experiência de pilotagem única, reservada a quem está sobre uma Honda.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Honda lança adesivos refletivos para rodas


Adesivo Vermelho

Atenta às necessidades de seus consumidores, que buscam opções diferenciadas para personalizar sua motocicleta, e empenhada em contribuir cada vez mais com a segurança sobre duas rodas, a Honda lança seu adesivo de roda, nos modelos refletivo e fluorescente.

Desenvolvido para as motocicletas com rodas de aro 17”, como CB 300R, CB 600F Hornet, CBR 600RR, CBR 1000RR Fireblade, entre outras, o produto tem forte apelo visual para customização da motocicleta. Além disso, possui uma importante função de segurança, uma vez que sua alta capacidade refletiva torna a motocicleta mais visível, principalmente na pilotagem noturna.

Adesivo Vermelho Florescente

O modelo fluorescente está disponível na cor vermelha, enquanto o refletivo é comercializado nas cores vermelha, prata e amarela. O produto é vendido em rolos de seis metros com aplicador, quantidade suficiente para as duas faces de cada roda aro 17”.

Adesivo Amarelo

O adesivo produto tem preço público sugerido de R$ 29,00 (com base no Estado de São Paulo) e pode ser encontrado em uma das mais de 700 concessionárias Honda distribuídas por todo o País.

Os endereços e telefones das concessionárias estão disponíveis no site www.honda.com.br. Mais informações sobre o adesivo de roda podem ser obtidas pelo telefone 0800 55 2221


sexta-feira, 4 de junho de 2010

Cuidados ao pilotar a sua moto na chuva

Capacete, botas, luvas, jaqueta ou macacão garantem segurança.

Diminuir a pressão dos pneus ajuda a aumentar a aderência ao solo.


Cada vez mais aumenta o número de motocicletas pelas ruas, porém nem todos os motociclistas estão devidamente preparados para conduzir esse veículo de duas rodas. Antes de pensar em ter uma moto é importante saber que o equipamento de proteção é a prioridade, já que não é um mero enfeite. Quem dá o mínimo de valor a sua integridade física sabe a importância de usar o equipamento adequado.


Capacete, botas, luvas, jaqueta ou macacão, independentemente do seu estilo e da finalidade de uso da motocicleta, o importante é pilotar seguro. Lembre-se que em se tratando de equipamento de proteção é preciso escolher aquele que atenda não só o bolso, mas também a proteção mínima.
Devidamente equipado, é hora de acelerar a máquina. Antes de tudo, é preciso ter em mente que a postura é fundamental. Coluna ereta, braços relaxados e pés paralelos ao solo. As mãos precisam ficar bem posicionadas para acionar os manetes, tanto da embreagem quanto do freio dianteiro. Já os pés precisam estar próximos ao freio e ao pedal do câmbio de marchas. Tudo isso se faz necessário para que as reações sejam rápidas em todas as circunstâncias da pilotagem. O cuidado deve ser redobrado para pilotar na chuva. Se puder evitar é melhor, uma vez que a visibilidade fica comprometida. Mas, se não tiver outro jeito, antes de mais nada o ideal é ter uma roupa apropriada, pois o desconforto compromete a pilotagem. Andar na chuva requer alguns cuidados que podem fazer uma enorme diferença em termos de segurança. Antes de enfrentar a chuva é necessário diminuir a pressão dos pneus, um pouco apenas, pois essa circunstância requer mais aderência ao solo. A pressão pode variar conforme a condição, mas lembre-se de não baixar muito. Feito isso, não vá esquecer de calibrar os pneus quando parar a chuva. Com a pista molhada estar atento às poças d’água, pois escondem buracos, pedras ou até mesmo causar uma aquaplanagem, condição em que as rodas perdem contato com o solo. Diminua a velocidade e evite passar sobre elas. Ao percorrer trechos urbanos evite passar pelo canto interno das curvas. Nessa região fica toda a sujeira do asfalto, principalmente resíduos dos veículos pesados.As faixas pintadas no asfalto costumam ser escorregadias mesmo no seco, portanto, evite andar por elas e mais ainda, evite acelerar ao passar. O mesmo vale para o momento de parar. Frear a motocicleta exige a distribuição entre os freios dianteiro e traseiro. O adequado é que essa proporção seja de 70% na roda dianteira e 30% na roda traseira, porém sempre de modo gradual e contínuo até a moto parar. Se frear no seco já exige cautela, com o piso molhado a atenção deve ser maior. A pressão que se exerce nos freios com chão seco deve ser a mesma nas condições molhadas, mas pelo fato de o disco de freio estar molhado, pode ocorrer certo retardo na ação de frear.


Normalmente, o motociclista acaba aumentando a pressão nos freios, mas isso pode acarretar em grave queda, pois, embora o disco esteja molhado, conforme as pastilhas se comprimem contra o disco, a superfície seca. Quando isso ocorre o freio pode travar repentinamente. Portanto,com chuva é preciso frear com muita cautela, mesmo nas emergências. Cuidado também com as manchas no asfalto: elas podem indicar algum problema, como óleo ou alguma substância escorregadia, desníveis de pista ou objetos soltos. Se for preciso, corrija a trajetória, porém sem se esquecer do tráfego a sua volta.


Transitar pela cidade pode parecer fácil, mas não é. O tráfego pesado exige muita cautela do motociclista. O correto seria ocupar uma faixa toda, assim como um carro ocupa, mas essa prática eliminaria a vantagem da moto no trânsito pesado, ou seja, serve apenas para o motociclista que está passeando, sem compromisso com as horas. Assim sendo, a primeira dica é ver e ser visto. Andar com o farol aceso, mesmo durante o dia, além de ser uma exigência do novo código de trânsito, é sempre mais seguro. Apesar de ser possível conduzir a moto por entre os carros, evite essa prática, principalmente em vias mais rápidas. O ideal é utilizar o corredor em vias lentas ou quando o tráfego está mais devagar. Na ultrapassagem a regra é a mesma para os carros, ou seja, não se deve passar pela direita. Quando parar em um semáforo procure ocupar apenas uma faixa e, de preferência, o lado direito quando tiver mais de uma pista. Se for parar logo atrás de um automóvel procure respeitar a distância mínima. Se acontecer de algum carro que vem atrás não conseguir parar, desse modo o motociclista não será prensado no carro da frente.

O mais importante de tudo é a atenção. Tenha sempre cuidado, ele nunca é demais e curta todo visual que somente quem está a bordo de uma motocicleta é capaz de viver.


Fonte: http://g1.globo.com/