Bros Moto Clube - PE: Junho 2012

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Campanha pede redução de ICMS para capacetes


Alíquota zero de ICMS para capacetes: Minas Gerais sai na frente



Em Minas Gerais já está em vigor a alíquota zero de capacetes para motociclistas. O governador Antonio Anastasia sancionou a lei 19.978/2011 aprovada na Assembléia Legislativa e agora todos os capacetes para motociclistas comercializados dentro do Estado de Minas Gerais devem cair de preço.Agora já está circulando o ABAIXO-ASSINADO “Capacete do bem – Redução de ICMS para um produto que salva vidas” (http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N25217 ) para que o mesmo ocorra no estado de São Paulo (SP). Leia abaixo a argumentação do documento para tentar sensibilizar o presidente do CONFAZ (Conselho Nacional de Política Fazendária), Nelson Henrique Barbosa Filho e Andrea Sandro Calabi, secretário de Estado da Fazenda de São Paulo.“Conforme dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), um paciente vítima de acidente de moto custa, em média, R$ 152 mil aos cofres públicos, só na rede hospitalar. Ainda segundo o IPEA o custo social de cada um desses pacientes é de, em média, R$ 952 mil aos cofres públicos, o que envolve atendimento pré-hospitalar, hospital, licença, aposentadoria, entre outros.





A falta de equipamentos de segurança certificados contribuem para o aumento do número de casos.Acidentes = Mortos e feridos = Gasto PúblicoA população economicamente ativa representa 70,7% dos mortos no trânsito. Para o País a perda é muito grande pois parte da população que mais deveria gerar impostos e riqueza ao país passa a ser um custo para sociedade. Afeta também pessoas que são arrimo de família e talvez por um acidente, prejudique várias pessoas desta família.O ICMS sobre os capacetes no estado de São Paulo é de 18% e vamos batalhar para redução em todos estados brasileiros, assim como acaba de ser feito por Minas Gerais. Para o governador Anastasia, a redução do ICMS permite que o motociclista compre capacetes de qualidade, aumentando a segurança. “O número de motociclistas tem aumentado muito, não só em Minas como no Brasil. 




A moto é usada por muitas pessoas, sobretudo, para o trabalho, mas, muitas vezes, as pessoas não têm condições de comprar o capacete mais adequado. A redução do ICMS a zero colabora. Por isso tomamos a iniciativa, com a aprovação da Assembleia Legislativa, em resposta a um pleito da CDL-BH”, disse Antonio Anastasia.Ainda sobre a questão de isonomia entre estados, devemos pleitear sobre esta redução em todos estados, pois se não outros estados sairão perdendo. O Governo Federal já fez sua parte, deixando a alíquota de 0% de IPI sobre capacetes pois sabe que este produto tem ligação direta com gastos públicos de saúde e gostaríamos que os estados agissem da mesma forma.Não é questão tributária e sim uma proposta para reduzir o custo com saúde pública e principalmente REDUZIR O NÚMERO DE VÍTIMAS E SEU CUSTO SOCIAL.”




fonte:www.motonline.com.br

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Nova Honda CRF 150F

A nova estratégia da Honda está claramente definida: ocupar todos os nichos de mercado significativos para não perder participação. Com quase 80% do mercado brasileiro nas mãos, a empresa mostra que não quer perder espaço. Mas se for pra perder, que seja lutando.

 Honda CRF 150F: leve e divertida

A chegada da CRF 150F é uma clara demonstração disso. Evidente que quem ganha mais é o consumidor, que passa a receber mais atenção e opções de compra. A pequena Honda CRF 150F marca presença como mais uma opção de moto de entrada ao mundo off-road. Quem procurava uma moto especificamente para lazer e esporte, tinha o primeiro degrau logo na CRF 230 dentro do line-up da Honda, uma moto que pode ser complicada para quem está começando.Então a Honda acha o “buraco” (nicho) e lança a CRF 150F, uma moto para diversão e iniciação ao motocross, enduro ou algum outro esporte fora de estrada. Baixa manutenção, durabilidade, versatilidade e confiabilidade são as marcas desta moto que carrega a popularidade das motos de competição da marca.As suas linhas lembram exatamente essa classe de motocicletas e os detalhes proporcionam facilidade de uso, manutenção fácil e resistência. O motor é um OHC (Over Head Camshaft) 149,2 cc, de quatro tempos, arrefecido a ar, tem potência máxima de 14 cv a 8.500 rpm, e um torque de 1,33 kgf.m a 6.500 rpm. Estes são números que numa moto leve e descompromissada oferecem muita diversão. Potência regular em baixa rotação que oferece facilidade para ultrapassar obstáculos. Em alta rotação tem boa pegada para acelerar rápido e o conjunto ciclístico com a suspensão permite passar com bastante controle sobre os terrenos mais irregulares.


                                               CRF 150F


O motor é alimentado por carburador  de venturi de 22,26 mm de diâmetro e o câmbio tem 5 velocidades  com trocas de marchas suaves e precisas, num escalonamento muito acertado. A ignição é do tipo CDI (Ignição por Descarga Capacitiva), com bateria selada de 12 V-4Ah.O chassi é de berço semiduplo, que mantém a ciclística bem comportada, o que resulta em resistência e equilíbrio como principais características, o que mantém a moto leve para manobras rápidas do off-road.
A rodagem vem com pneus off-road de medidas 70/100-19 na dianteira e 90/100-16 na traseira. As suspensões tem curso de 230 mm na dianteira e um Pro-Link na traseira com 227 mm de curso. Elas garantem boa precisão na pilotagem e as rodas permanecem tracionando bem por qualquer tipo de terreno. O freio dianteiro é a disco, com 240 mm de diâmetro e o traseiro, a tambor, tem 110 mm.



O preço é de R$ 8.690,00 colocado no estado de São Paulo e não inclui despesas de frete e seguro. A Honda pretende vender cerca de 190 CRF 150F por mês. A moto tem garantia de 3 meses, sem limite de quilometragem. A CRF 150F modelo 2012 chega às concessionárias Honda a partir deste mês.


Fonte: www.motonline.com.br